segunda-feira, 19 de abril de 2010

Pompeo de Mattos, "O ASSEDIADOR" é vice Fogaça

Minhas considerações sobre o assunto:


                      Lendo a coluna abaixo, lembrei e quero brindar aos meus amigos, com a lembrança do fato, que só foi "abafado" pois o Ético e honrado Brizola faleceu.
                      No mês de abril  2004 a neta de Brizola (ler abaixo na sua entrevista no "Gaúcha Atualidade - 08h10  do dia  19/05/04 ) relatou os ataques de assédio sexuais que sofreu de Pompeo de Mattos.
                      O saudoso Brizola Destitui Pompeo da Presidencia do PDT do RS, e, ao meu ver só não  o expulsou do partido pois faleceu às 21h20 do dia 21 de junho de 2004. (dois meses após vir a público o assédio)
                        Hoje como vice- de Fogaça, hipócritamente, vai ao túmulo de Brizola "reverenciá-lo".....  é um cara-de-pau.........

========================================================================
17 de abril de 2010

N° 16308AlertaVoltar para a edição de hoje
PÁGINA 10
ROSANE DE OLIVEIRA

RITUAL TRABALHISTA

          A escolha de São Borja como primeira cidade a ser visitada por José Fogaça depois de fechada a aliança com o PDT faz parte do ritual de aproximação com os trabalhistas. Fogaça fez o roteiro completo: visita ao memorial João Goulart e aos túmulos de Jango, Getúlio Vargas e Leonel Brizola.
         Na homenagem a Brizola, com a colocação de rosas vermelhas no túmulo do ícone trabalhista, o candidato ficou entre a vereadora Juliana Brizola, neta do ex-governador, e o deputado Pompeo de Mattos, seu vice.
         A política reaproximou Juliana e Pompeo, que passaram anos sem se comunicar depois que ela o acusou de assédio. Brizola tomou as dores da neta e morreu sem fazer as pazes com o deputado.

===============

Gaúcha Atualidade - 08h10 - 19/05/04


Por: Anderson Passos Data: 19/05/2004 - Hora: 08:10
Apresentação: Armindo Antônio Ranzolin e Ana Amélia Lemos

CASO POMPEO DE MATTOS

Armindo Antônio Ranzolin :

Há uma matéria hoje na página seis de Zero Hora assinada pela Rosane Oliveira, que vai nos falar em seguida, mas é sobre essa crise que resultou na renúncia do deputado federal Pompeo de Mattos da presidência do PDT em função de um caso em que teria sido envolvida, além dele, a neta de Leonel Brizola. Mas vamos fazer primeiro um resumo porque a Rosane Oliveira assina uma entrevista que fez com a Juliana Brizola ontem e nós vamos resumir aqui com a Civa Silveira esse caso. Que é o caso de assédio envolvendo a neta de Brizola. Ouçam.

Repórter Civa Silveira : A neta do presidente de honra do PDT e principal responsável pela renúncia do presidente regional do partido saiu do silêncio. Ontem a advogada Juliana Brizola denunciou ao conselho de ética o deputado federal Pompeo de Mattos por assédio sexual. Na conversa que teve com a colunista Rosane Oliveira, de Zero Hora, no final da tarde desta terça-feira, Juliana diz que a primeira aproximação do deputado se deu no dia da posse do deputado Vieira da Cunha como presidente da Assembléia Legislativa, quando eles foram buscar Brizola no aeroporto. SONORA JULIANA BRIZOLA. NAQUELE TRAJETO DO AEROPORTO PARA O PLAZA SÃO RAFAEL, ONDE MEU AVÔ FICARIA ALGUNS MINUTOS ANTES DA CERIMÔNIA DE POSSE DO DEPUTADO VIEIRA, NAS CONVERSAS ALI DOS DEPUTADOS COM O MEU AVÔ, O DEPUTADO POMPEO DE MATTOS PUXOU MINHA CABEÇA E ME DEU UM BEIJO NO PESCOÇO. ISSO TALVEZ ATÉ FOI O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU PORQUE EU ESTAVA NO BANCO DA FRENTE. SÓ QUE NA HORA, EU NÃO SEI SE É PORQUE EU NÃO ESPERAVA, EU FIQUEI SEM SABER O QUE FAZER. Juliana Brizola tem um cargo na assessoria jurídica do PDT desde 2001. Ela conta que recebeu um recado do advogado do partido para procurar o deputado Pompeo, mas devido ao episódio do carro, esperou para falar com o presidente na presença de mais alguém. Juliana disse que o deputado pediu para que o advogado do partido saísse da sala. Ela conta como foi a conversa. SONORA JULIANA BRIZOLA. ELE COMEÇOU FALANDO NO PARTIDO, FALANDO MUITO BEM, A GENTE CONVERSOU SOBRE MEU HORÁRIO ATÉ PORQUE NA VERDADE EU TRABALHAVA EM PERÍODO INTEGRAL E TAVA MUDANDO PARA FAZER O MEIO EXPEDIENTE E NO MEIO DA CONVERSA EU CHEGUEI PARA ELE E DISSE ASSIM : DEPUTADO, EU GOSTARIA DE ME DEDICAR ATÉ MAIS AO PARTIDO, PORQUE NA VERDADE EU FAO MESTRADO, FAÇO UNS BICOS ASSIM DE PROFESSORA, MAS EU GOSTARIA DE ME DEDICAR MAIS AO PARTIDO, ATÉ EXCLUSIVAMENTE, SÓ QUE EU PRECISARIA DE UM AUMENTO E EU DISSE A ELE SOBRE O AUMENTO E ELE DISSE QUE NÃO PODERIA ME DAR ESSE AUMENTO PORQUE O PARTIDO ERA UM PARTIDO POBRE E QUENÃO TINHA DINHEIRO, MAS QUE SE A GENTE SAÍSSE PARA JANTAR A GENTE PODERIA CONVERSAR MELHOR SOBRE ESSE ASSUNTO E NO FINAL DA CONVERSA, PORQUE LOGO DEPOIS QUE A GENTE CONVERSOU QUE ACABOU A CONVERSA, ELE SE LEVANTOU E ME PERGUNTOU SE EU TINHA O TELEFONE CELULAR DELE. EU DISSE PRA ELE QUE TINHA, TINHA O TELEFONE DELE E ELE ME DISSE ASSIM. ENTÃO TU ME LIGA, ME LIGA, VAMOS JANTAR QUE TU NÃO VAIS TE ARREPENDER. Segundo Juliana Brizola, a terceira aproximação teria acontecido num restaurante de Porto Alegre quando ela estava com a mãe. SONORA JULIANA BRIZOLA. ELE ENTROU NO RESTAURANTE ACOMPANHADO DE MAIS UMAS TRÊS PESSOAS, INCLUSIVE O DEPUTADO ESTADUAL ADROALDO LOUREIRO, E SENTOU NUMA MESA PERTO DA MINHA. QUANDO EU JÁ ESTAVA ACABANDO DE JANTAR, EU LEVANTEI COM A MINHA MÃE E FUI ATÉ A MESA DELE PARA APRESENTAR A MINHA MÃE E TUDO E ELE COMEÇOU A FAZER SINAIS COM A BOCA, A APONTAR PRA MIM E FALAR PARA A MINHA MÃE : QUE BELEZA, QUE MARAVILHA. Ela critica as declarações do deputado Pompeo de Mattos de que tudo foi uma armação para tirá-lo da presidência do partido. SONORA JULIANA BRIZOLA. EU FICO PERGUNTANDO, QUERENDO SABER DO DEPUTADO POMPEU O QUÊ QUE ELE QUE EU GANHO INVENTANDO UMA HISTÓRIA DESSAS. ATÉ POUCOS DIAS TAVA DANDO EXPLICAÇÃO PARA A FAMÍLIA DO MEU MARIDO, QUENA VERDADE SÓ ACOMPANHA TUDO PELO JORNAL. É DIFÍCIL. IMAGINA SE EU IA ME EXPOR DESSA FORMA. O MEU PRÓPRIO AVÔ QUE É UMA PESSOA JÁ VIVIDA, IA FAZER UMA COISA DESSAS PARA TIRAR UM PRESIDENTE DE PARTIDO. SONORA JULIANA BRIZOLA. O deputado Pompeo de Mattos nega as acusações. SONORA DEPUTADO FEDERAL POMPEO DE MATTOS. QUANDO NÓS VIEMOS DO PLAZA, , UM COLEGA, ATÉ ME RECORDO, DEPUTADO, EU O CONVIDEI PARA ENTRAR NO CARRO PRA VIR CONOSCO PORQUE ELE TINHA UM ASSUNTO PARA TRATAR COM O DOUTOR BRIZOLA NO CAMINHO. ELE SENTOU NO CANTO, EU SENTEI NO MEIO E NÃO ME RECORDO, MAS UMA OUTRA PESSOA SENTOU NO CANTO, QUE POSSIVELMENTE AGORA PODE TER SIDO ELA, E VIEMOS EU E OCOLEGA DEPUTADO CONVERSANDO COM O DOUTOR BRIZOLA, ASSUNTO NOSSO, O DOUTOR BRIZOLA VIRIU PRA TRÁS E NEM ME RECORDO DA PRESENÇA DELA, QUANTO MAIS TER FEITO QUALQUER, TER TRATADO QUALQUER ASSUNTO, MUITO MENOS TOCADO NELA. O deputado Pompeo de Mattos conta qual foi a conversa que eles tiveram no departamento jurídico do PDT. SONORA DEPUTADO FEDERAL POMPEO DE MATTOS. NO DIA O ADVOGADO TINHA QUE FALAR COM ELA E ELE ME DISSE E ELE ME DISSE QUE NÃO FALARIA PORQUE TINHA QUE ACHADO QUE ERA UMA COISA QUE TINHA QUE FALAR. NUM DETERMINADO DIA, ELA ESTEVE NO PARTIDO, QUE ELA NÃO COMPARECIA AO PARTIDO, TEVE LÁ, O ADVOGADO ME CHAMOU NA SALA, FUI LÁ, COMECEI A CONVERSA COM ELA, O ADVOGADO SE RETIROU UM MINUTO, NÃO DEU DOIS MINUTOS, QUE NÓS JÁ TÍNHAMOS COMEÇADO A CONVERSA RELATIVAMENTE À QUESTÃO DO PARTIDO, PARA ACHAR UM HORÁRIO PARA A ATIVIDADE DELA. FIM DA CONVERSA, ELA DISSE QUE TALVEZ FOSSE LECIONAR NA ULBRA E QUE QUERIA ABRIR CAMINHO E O ASSUNTO SE ENCERROU. O deputado Pompeo de Mattos dá a sua versão para o episódio do restaurante. SONORA DEPUTADO FEDERAL POMPEO DE MATTOS. QUANDO CHEGAMOS EU E O DEPUTADO ADROALDO LOUREIRO, NÃO A PERCEBI. SENTEI NA MESA E DEPOIS DE UNS 40 MINUTOS APROXIMADAMENTE, NOTI ELA E ELA SE LEVANTOU E VEIO E CUMPRIMENTOU O DEPUTADO LOUREURO, A MIM E À MINHA NAMORADA. DEPUTADO LOUREIRO, A MIM E, DESCULPE, UMA AMIGA, NÃO ERA UMA NAMORADA, UMA AMIGA, AMIGA. COINCIDENTEMENTE NOS ENCONTRAMOS ALI E NÃO FALAMOS NADA, SÓ NOS CUMPRIMENTOU, APRESENTOU A MÃE AO DEPUTADO LOUREIRO E ENCERROU-SE LÁ. NUNCA MAIS VI. O deputado Pompeu de Mattos diz que não deixará o partido teme uma punição por parte da comissão de ética. SONORA DEPUTADO FEDERAL POMPEO DE MATTOS. EU NUNCA DESRESPEITEI NINGUÉM, EU NUNCA FALTEI COM O RESPEITO COM O DOUTOR BRIZOLA, NÃO DESRESPEITEI NENHUM COLEGA DE TRABALHO, TENHO HONRADO OS MANDATOS QUE RECEBO DO PARTIDO. O PDT É MUITO MAIOR QUE ESSE MOMENTO DE INTRIGA.

Armindo Antônio Ranzolin

Você assina essa matéria nessa entrevista que colheu junto a Juliana Brizola. O que mais você quer acrescentar sobre isso ?

Rosane Oliveira :

Acho que é importante ressaltar que essa menina, desde o dia em que surgiram as primeiras denúncias, eu vinha tentando falar com a Juliana Brizola. Porque é um caso em que ela era o personagem principal e a palavra dela ainda não tinha vindo à tona. O que se sabia era dessas denúncias por meio de declarações do seu avô, da sua mãe, dos seus irmãos e de outras pessoas do PDT. Ela vinha mantendo silêncio até então, por ordem do próprio avô e ontem finalmente, ela deu retorno às minhas muitas ligações, diz que aceitaria falar, que queria contar a sua versão. O que me impressionou na entrevista da Juliana Brizola foi a firmeza com que ela fala tudo que aconteceu nesse episódio. E ela está denunciando o deputado na comissão de ética do PDT nacional, mandou uma carta para a comissão de ética, e agora que o assunto estaria aparentemente encerrado, o próprio Brizola havia dito que considerava o assunto aqui encerrado após a saída dele da presidência, esse assunto terá desdobramentos e o deputado deverá ser julgado. Ele desde o início, vem negando que tenha tido algum envolvimento com o que Juliana relata, diz que quer ser julgado, que quer ser submetido ao julgamento porque não tem nada a esconder. Mas é um episódio que infelizmente é ruim para o PDT, ruim para a política gaúcha, porque nesse tipo de caso sempre fica a palavra de um contra o outro. E como disse a Juliana, eu fico aqui imaginando também, o que ela ganharia para se expor desse jeito, fazer uma denúncia em que nada a beneficia. O PDT é um partido onde as brigas são constantes, as dificuldades na eleição do deputado Pompeo de Mattos são conhecidas, o ex-governador Leonel Brizola verdadeiramente não queria que ele fosse eleito presidente do partido. Mas eu acho que seria uma coisa muito baixa por parte dele, inventar um caso usando a neta para tirar um presidente do partido. É um assunto que ainda precisa ser esclarecido e agora a comissão de ética do partido vai esclarecer. Juliana Brizola diz que não pretende processar o deputado por danos morais, como chegou a ser sugerido por colegas dela no PDT que vinham, segundo ela, acompanhando as investidas do deputado contra ela.

Armindo Antônio Ranzolin

Então tivemos aqui, vocês encontram numa página inteira da edição de Zero Hora a matéria assinada pela Rosane de Oliveira que entrevistou a Juliana Brizola e a Civa Silveira fez um resumo e também abriu espaço para que falasse também o deputado Pompeo de Mattos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário