quinta-feira, 22 de abril de 2010

Contrato da CORSAN: É isso que queremos para São Borja?


          Meus amigos (as), vejam o que deu com a municipalização da água\esgoto em Novo Hamburgo:
          É isso que queremos para São Borja?

Vejam só o que deu a Municipalização de Novo Hamburgo, ocorrida em Dez/1998, após anos de discussão judicial sobre o valor da indenização do patrimônio da Corsan que foi encampado!
Valor da indenização devida à Corsan pela Prefeitura de                              Novo Hamburgo= CR$ 3.838.777.552,50 ( valores em cruzeiros)
Valor atualizado da indenização, pelo IGP-M c/ juros de 12% ao ano= R$ 156.217.083,02.
O processo está em fase de liquidação de sentença, logo não existe mais discussão de mérito.
Resultado: terão que devolver a COMUSA e ainda ficarão devendo outra COMUSA???????

E o povo de Novo Hamburgo o que ganhou?

1)        Zero (0%) de esgoto em 12 anos.
 2)        Não houve significativa redução tarifária
3)         Um dívida para pagar de R$ 156 milhões.




quarta-feira, 21 de abril de 2010

Governo Mariovane - PDT: Um governo de Mentira!

    
       Diferença de Projetos e Emendas Parlamentares

       A Turma do Prefeito Mariovane-PDT, tem tentado de todas as formas enganar a população com afirmações erradas ou meias verdades, tudo com o intuito de criar a falsa idéia que o governo municipal esta andando por competência do Prefeito e capacidade de sua equipe.
      Todos sabem do caos que esta o município. Na saúde, nas estradas, na administração em sí, etc...
      Não esquecendo os atos criminosos cometidos pelo prefeito como é o caso dos desvios da Cooperpasso, Ordesque, pró-jovem, contrato da CORSAN, etc... (o vereador Líder do governo na Câmara Jeovane Contreira deve viver num dilema, sendo policial que tem de defender a lei, se vê "obrigado" a defender um governo que comete tantos crimes).
      Entendemos que projetos são aqueles onde e necessário demonstrar e convencer a esfera Federal ou Estadual da necessidade de se realizar tal investimento, com bons projetos, trabalho e credibilidade pessoal e política.
   

Como Petistas, destinamos à S. Borja os seguintes investimento através de projetos:

*Reconstrução das três BRs de acesso a São Borja-------- mais de 60 milhões
* Construção de 270 casas------------------investimento de 2.500.000,00
* Reformas e ampliação escolas municipais----- investimento de 600.000,00
* Equipamentos para escolas--------------- investimento de 270.000,00
* Construção 11 Junho -----------------------investimento de 600.000,00
* Farmácia Popular -------------- investimento de 50.000,00 + Custeio 120.000,00 Mil Anuais
* C E O ------------------------------- investimento de 50.000.00 + Custeio 80.000,00 Mil Anuais
* Melhorias Sanitárias (Funasa) ------------ investimento de 120.000,00
* Maquinário-----------------------------------Investimento de 1.600.000,00
* Pró-Info-----------------------------------------Investimentos de 300.000,00
* Pró-Infância ------------------------------------Investimento de 700.000,00


      UNIPAMPA- trabalhamos diretamente junto ao governo Lula na construção do projeto, definição das cidades, definição do local, definição dos cursos, trabalho para empenhar e liberar milhões de reais para a construção dos prédios e aquisição de equipamentos móveis etc..., ou seja, isto é um projeto de que desenvolverá a cidade e região.

     ESCOLA TÉCNICA FEDERAL – Acompanhamos e trabalhamos na formatação do projeto, os aportes financeiros, as decisões políticas e por fim Junto com a Dep. Maria do Rosário e Henrique Fontana, definimos a São Borja como uma das cidades que receberiam o campus (realidade diferente ao que o Candidato Mariovane junto com parte da mídia local faz crer).

       A Prefeitura realizou como programa o ProJovem onde já investiram quase 2 milhões, que beneficia centenas de jovens da nossa cidade. O ProJovem é componente estratégico da Política Nacional de Juventude, do Governo Federal. Foi implantado em 2005, sob a coordenação da Secretaria-Geral da Presidência da República. Em São Borja, o projeto foi visualisado quando o prefeito "deixou" ser perdido 200 mil, sendo 100 da dep. Maria do Rosário, e 100 do Sen. Paim que seriam destinados a Juventude. Por este ato de sabotagem que sofremos (São Borja), eu e minha equipe buscamos o proJovem, contactamos, nos orientamos e estruturamos o projeto. Mas, bastou o PT sair do governo, e o Prefeito Mariovane fraudou e direcionou a licitação "entregando" a execução deste projeto para uma empresa de um parceiro seu, do PDT.

12 milhões de emendas parlamentares para São Borja.

      A turma do prefeito estão propagando aos “quatro ventos” que por competência e bons projetos conseguiram 12 milhões para investir em São Borja. Que isto justifica as viagens do alcaide mor do município e seu pupilo, o vice.

      Mas não é verdade! Vamos analisar:

      Nós do PT colocamos em São Borja 3 milhões de reais.
      O Dep. Heinze mais certa quantia.
      Sobraria em torno de 7 milhões em relação a emendas parlamentares de deputados dos partidos que estão compondo o governo Mariovane Weis.
      Sendo assim, cada deputado ou senador de partido que apóia e é da turma do prefeito, em média estão destinando para São Borja EM TORNO DE 380 mil .

      O que, vamos combinar, é uma ninharia !!!!!!!!!!

      Esta é a resposta, aos que por ignorância o má fé propagam mentiras e falam bobagens publicamente....... atacam o PT e o Governo Lula
     
      Principalmente o Líder do Governo Mariovane Weis- PDT, na Câmara de São Borja, Vereador Jeovane Contreira – PPS.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

SANEAMENTO DE SÃO BORJA: VEREADOR CONFIRMA QUE ODEBRECHT OFERECEU 20 MIL

ESTA CONFIRMADO:

        A ARMAÇÃO PARA TIRAREM A CORSAN DE SÃO BORJA E ENTREGAREM A NOSSA AGUA E SANEAMENTO À GRANDE EMPRESA COMEÇOU ANTES DA ELEIÇÃO DE 2008.


       No período pré-eleitoral de 2008, o Vereador Farelo Almeida do PDT, confirmou respondendo ao Vereador Carmelito do PT que a Ordebrecht ofereceu 20 mil a candidato do PDT.
    Como a questão da agua e esgoto de São Borja deveria passar pela Câmara de vereadores e o prefeito ter maioria para aprovar a lei..................
       Qual o interesse de uma grande como  ODEBRECHT tem em São Borja, que levou a oferecer 20 mil para um vereador?
       Quem mais recebeu tal " oferecimento"?


Veja a DEGRAVAÇÃO do díálogo no plenário da Câmara de Vereadores de São Borja:


PRESIDENTE FÁTIMA DA ROCHA: Colocamos a palavra a disposição dos senhores vereadores.. não havendo manifestação dos vereadores encerro a primeira discussão. Em comunicação de liderança o Vereador Carmelito Lunardine do Amaral.. 

VEREADOR CARMELITO - PT: Senhora presidente , senhores vereadores, eu faço um questionamento ao veeador Farelo........só esperar....pode falar...... OUTRO DIA VOSSA SENHORIA ME FALOU, E EU ACHO QUE NÓS TEMOS DE REGISTRAR NOS ANAIS DA CASA, NÓS ESTAMOS NUM PERÍODO FERVOROSO, QUE O SENHOR RE EBEU UMA PROPOSTA PARA RECEBER 20 MIL REAIS E DEPOIS DISSERAM QUE NÃO, PORQUE TINHA DADO ERRADO O NEGÓCIO DA ODEBRECHT E CORSAN, SE É VERDADE OU NÃO? OBRIGADO......

VEREADOR FARELO - PDT: SÓ POSSO LHE CONFIRMAR OU NÃO UMA OFERTA, MAS HOUVE UM OFERECIMENTO.

Prefeito Mariovane Weis prepara mais uma MARACUTAIA

Minhas considerações:





      Grande parte da Cidade de São Borja sabe que o Candidato Mariovane Weis assumiu compromisso com uma grande empreiteira que tem capital internacional e quer o lugar da CORSAN no município.
       Falam em saneamento, mas na realidade estão atrás da nossa água que esta que esta no Aqüífero Guarani, no nosso subsolo e é uma das maiores reservas de água potável do mundo (os trabalhistas Brizola, Jango e Getúlio Vargas, homens nacionalistas, éticos, honrados e honestos, devem estar se revirando no túmulo, de vergonha do que esta fazendo o trabalhista da nova geração Mariovane Weis-PDT).
       Estou curioso para ver a posição e atuação da bancada trabalhista na câmara, sobre este caso.
       NÃO SEI QUAL É O INTERESSE, QUANTO OU O QUE RECEBEU , mas sei que o Prefeito Mariovane Weiss vem fazendo todos os movimentos possíveis e quase impossíveis para conseguir respaldo público, "esquentar" a justificativa, e cumprir o "negócio".
      Para tanto, não devemos subestimar a capacidade de Mariovane, que é especialista em criar justificativas fraudulentas e ilegais para “legalizar” atos e ações, que causam graves lesões ao povo de São Borja, desviam dinheiro que é nosso e enriquece com este dinheiro TERCEIROS QUE TODOS SABEM QUEM SÃO.
      Já fez isso quando criou um estado de emergência fraudulento para contratar a COOPERPASSO, onde foi desviados milhões dos cofres do município, do povo de São Borja.... e enriqueceu todos sabem quem.
      Mas voltamos sobre a venda (diretamente não seria venda, mas licitação, só que com cartas marcadas, já que a grande empreiteira investidora têm até edital pronto, que faria com que ela fosse a vencedora).
      O Prefeito, primeiro, tentou fazer um plebiscito para respaldar uma ação sua. Este "plebiscito" foi impedido pela justiça, pois o prefeito e sua turma estavam fraudando a votação e induzindo a população a votar errado, votando enganado mas no que servia a vontade do prefeito.
      Não dando esta tática (barrada pela justiça) o Prefeito começou na mídia local há meses (pago por quem?) uma mássica campanha em “prol do saneamento”, com esta campanha Mariovane tenta, convencer aos “menos” avisados que a CORSAN não cumpre acordo nem o contrato e seus funcionários são incompetentes (caso dos buracos nas ruas etc...) em São Borja. Todos sabem que na questão saneamento do nosso município, o governo estadual nos deve muito.
      Mas, esquece o prefeito que se o contrato não é cumprido, no seu governo esta o PSDB, PMDB e outros partidos que comandam o governo estadual, é só fazer uma reunião com a governadora e esta tudo resolvido....é simples.... ou faça como fez o Perfeito de Santa Rosa Orlando Desconsi (que se tivesse vencido o outro candidato, lá como aqui, tinha o mesmo acordo, e a água e o esgoto iriam também para esta grande empreiteira, através de um criminoso ato licitatório) que renovou um novo contrato com a CORSAN, beneficiando Santa Rosa com milhões em investimento, sem ter de vender este serviço essencial a picaretas.
      Mas não, nada serve, pois o acordo deve ser cumprido, e o prefeito Mariovane Weis deve anular o contrato LEGAL que o município tem com a CORSAN de qualquer forma, e ABRIR NOVA LICITAÇÃO (que todos sabem quem vencerá ........).
       Inclusive O prefeito há muito, em entrevistas diz que “ tem uma empresa de São Paulo interessada em investir em São Borja segundo ele 50 milhões em saneamento e na água” (mentira repetida incessantemente por Mariovane, para tentar enganar e convencer a população ) .
      Como tem o dever de ABRIR NOVA LICITAÇÃO (mas para isso tem de romper o legal contrato que o município tem com a CORSAN) na última sexta-feira, dia 16, Mariovane assinou decreto (quanto custou esta assinatura?) extinguindo contrato com a CORSAN.
      Como já afirmei, o Prefeito Mariovane, é pós-graduado em encontrar justificativas para fundamentar ilegalidades e crimes. Neste caso também encontrou.


Veja na matéria da Folha de São Boja do último sábado:





Prefeitura extingue contrato com a Corsan




Através de decreto o prefeito Mariovane Weis rescindiu o contrato com a companhia que não estaria cumprindo algumas cláusulas.


O prefeito Mariovane Weis assinou nesta sexta-feira, dia 16, o decreto n° 12.517 que dispõe sobre a caducidade do contrato de saneamento básico de São Borja com a Companhia Rio-Grandense de Saneamento. A empresa era responsável pela exploração, execução de obras, ampliações e melhorias dos serviços de abastecimento de água e de coleta, transporte, e destino final de esgotos sanitários da área urbana. A decisão foi fundamentada em pareceres de diversas áreas do Poder Executivo.


De acordo com o contrato firmado em 27 de setembro de 1995, foi concedida uma concessão de 20 anos para a prestação de serviços pela Corsan. A sexta cláusula do contrato estabelecia a utilização “sem ônus, de vias públicas, estradas, caminhos e terrenos do domínio municipal, desde que após a execução do reparo ou obra a vida pública ou estrada fique nas mesmas condições que estava, devendo para isto à Concessionária recuperar a suas expensas as repavimentações, dentro das normas, especificações e fiscalização do poder Concedente”. A Prefeitura elaborou relatórios comprovando que esta clausula não estava sendo cumprida.

                                                      FSB 16.04.2010

Pompeo de Mattos, "O ASSEDIADOR" é vice Fogaça

Minhas considerações sobre o assunto:


                      Lendo a coluna abaixo, lembrei e quero brindar aos meus amigos, com a lembrança do fato, que só foi "abafado" pois o Ético e honrado Brizola faleceu.
                      No mês de abril  2004 a neta de Brizola (ler abaixo na sua entrevista no "Gaúcha Atualidade - 08h10  do dia  19/05/04 ) relatou os ataques de assédio sexuais que sofreu de Pompeo de Mattos.
                      O saudoso Brizola Destitui Pompeo da Presidencia do PDT do RS, e, ao meu ver só não  o expulsou do partido pois faleceu às 21h20 do dia 21 de junho de 2004. (dois meses após vir a público o assédio)
                        Hoje como vice- de Fogaça, hipócritamente, vai ao túmulo de Brizola "reverenciá-lo".....  é um cara-de-pau.........

========================================================================
17 de abril de 2010

N° 16308AlertaVoltar para a edição de hoje
PÁGINA 10
ROSANE DE OLIVEIRA

RITUAL TRABALHISTA

          A escolha de São Borja como primeira cidade a ser visitada por José Fogaça depois de fechada a aliança com o PDT faz parte do ritual de aproximação com os trabalhistas. Fogaça fez o roteiro completo: visita ao memorial João Goulart e aos túmulos de Jango, Getúlio Vargas e Leonel Brizola.
         Na homenagem a Brizola, com a colocação de rosas vermelhas no túmulo do ícone trabalhista, o candidato ficou entre a vereadora Juliana Brizola, neta do ex-governador, e o deputado Pompeo de Mattos, seu vice.
         A política reaproximou Juliana e Pompeo, que passaram anos sem se comunicar depois que ela o acusou de assédio. Brizola tomou as dores da neta e morreu sem fazer as pazes com o deputado.

===============

Gaúcha Atualidade - 08h10 - 19/05/04


Por: Anderson Passos Data: 19/05/2004 - Hora: 08:10
Apresentação: Armindo Antônio Ranzolin e Ana Amélia Lemos

CASO POMPEO DE MATTOS

Armindo Antônio Ranzolin :

Há uma matéria hoje na página seis de Zero Hora assinada pela Rosane Oliveira, que vai nos falar em seguida, mas é sobre essa crise que resultou na renúncia do deputado federal Pompeo de Mattos da presidência do PDT em função de um caso em que teria sido envolvida, além dele, a neta de Leonel Brizola. Mas vamos fazer primeiro um resumo porque a Rosane Oliveira assina uma entrevista que fez com a Juliana Brizola ontem e nós vamos resumir aqui com a Civa Silveira esse caso. Que é o caso de assédio envolvendo a neta de Brizola. Ouçam.

Repórter Civa Silveira : A neta do presidente de honra do PDT e principal responsável pela renúncia do presidente regional do partido saiu do silêncio. Ontem a advogada Juliana Brizola denunciou ao conselho de ética o deputado federal Pompeo de Mattos por assédio sexual. Na conversa que teve com a colunista Rosane Oliveira, de Zero Hora, no final da tarde desta terça-feira, Juliana diz que a primeira aproximação do deputado se deu no dia da posse do deputado Vieira da Cunha como presidente da Assembléia Legislativa, quando eles foram buscar Brizola no aeroporto. SONORA JULIANA BRIZOLA. NAQUELE TRAJETO DO AEROPORTO PARA O PLAZA SÃO RAFAEL, ONDE MEU AVÔ FICARIA ALGUNS MINUTOS ANTES DA CERIMÔNIA DE POSSE DO DEPUTADO VIEIRA, NAS CONVERSAS ALI DOS DEPUTADOS COM O MEU AVÔ, O DEPUTADO POMPEO DE MATTOS PUXOU MINHA CABEÇA E ME DEU UM BEIJO NO PESCOÇO. ISSO TALVEZ ATÉ FOI O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU PORQUE EU ESTAVA NO BANCO DA FRENTE. SÓ QUE NA HORA, EU NÃO SEI SE É PORQUE EU NÃO ESPERAVA, EU FIQUEI SEM SABER O QUE FAZER. Juliana Brizola tem um cargo na assessoria jurídica do PDT desde 2001. Ela conta que recebeu um recado do advogado do partido para procurar o deputado Pompeo, mas devido ao episódio do carro, esperou para falar com o presidente na presença de mais alguém. Juliana disse que o deputado pediu para que o advogado do partido saísse da sala. Ela conta como foi a conversa. SONORA JULIANA BRIZOLA. ELE COMEÇOU FALANDO NO PARTIDO, FALANDO MUITO BEM, A GENTE CONVERSOU SOBRE MEU HORÁRIO ATÉ PORQUE NA VERDADE EU TRABALHAVA EM PERÍODO INTEGRAL E TAVA MUDANDO PARA FAZER O MEIO EXPEDIENTE E NO MEIO DA CONVERSA EU CHEGUEI PARA ELE E DISSE ASSIM : DEPUTADO, EU GOSTARIA DE ME DEDICAR ATÉ MAIS AO PARTIDO, PORQUE NA VERDADE EU FAO MESTRADO, FAÇO UNS BICOS ASSIM DE PROFESSORA, MAS EU GOSTARIA DE ME DEDICAR MAIS AO PARTIDO, ATÉ EXCLUSIVAMENTE, SÓ QUE EU PRECISARIA DE UM AUMENTO E EU DISSE A ELE SOBRE O AUMENTO E ELE DISSE QUE NÃO PODERIA ME DAR ESSE AUMENTO PORQUE O PARTIDO ERA UM PARTIDO POBRE E QUENÃO TINHA DINHEIRO, MAS QUE SE A GENTE SAÍSSE PARA JANTAR A GENTE PODERIA CONVERSAR MELHOR SOBRE ESSE ASSUNTO E NO FINAL DA CONVERSA, PORQUE LOGO DEPOIS QUE A GENTE CONVERSOU QUE ACABOU A CONVERSA, ELE SE LEVANTOU E ME PERGUNTOU SE EU TINHA O TELEFONE CELULAR DELE. EU DISSE PRA ELE QUE TINHA, TINHA O TELEFONE DELE E ELE ME DISSE ASSIM. ENTÃO TU ME LIGA, ME LIGA, VAMOS JANTAR QUE TU NÃO VAIS TE ARREPENDER. Segundo Juliana Brizola, a terceira aproximação teria acontecido num restaurante de Porto Alegre quando ela estava com a mãe. SONORA JULIANA BRIZOLA. ELE ENTROU NO RESTAURANTE ACOMPANHADO DE MAIS UMAS TRÊS PESSOAS, INCLUSIVE O DEPUTADO ESTADUAL ADROALDO LOUREIRO, E SENTOU NUMA MESA PERTO DA MINHA. QUANDO EU JÁ ESTAVA ACABANDO DE JANTAR, EU LEVANTEI COM A MINHA MÃE E FUI ATÉ A MESA DELE PARA APRESENTAR A MINHA MÃE E TUDO E ELE COMEÇOU A FAZER SINAIS COM A BOCA, A APONTAR PRA MIM E FALAR PARA A MINHA MÃE : QUE BELEZA, QUE MARAVILHA. Ela critica as declarações do deputado Pompeo de Mattos de que tudo foi uma armação para tirá-lo da presidência do partido. SONORA JULIANA BRIZOLA. EU FICO PERGUNTANDO, QUERENDO SABER DO DEPUTADO POMPEU O QUÊ QUE ELE QUE EU GANHO INVENTANDO UMA HISTÓRIA DESSAS. ATÉ POUCOS DIAS TAVA DANDO EXPLICAÇÃO PARA A FAMÍLIA DO MEU MARIDO, QUENA VERDADE SÓ ACOMPANHA TUDO PELO JORNAL. É DIFÍCIL. IMAGINA SE EU IA ME EXPOR DESSA FORMA. O MEU PRÓPRIO AVÔ QUE É UMA PESSOA JÁ VIVIDA, IA FAZER UMA COISA DESSAS PARA TIRAR UM PRESIDENTE DE PARTIDO. SONORA JULIANA BRIZOLA. O deputado Pompeo de Mattos nega as acusações. SONORA DEPUTADO FEDERAL POMPEO DE MATTOS. QUANDO NÓS VIEMOS DO PLAZA, , UM COLEGA, ATÉ ME RECORDO, DEPUTADO, EU O CONVIDEI PARA ENTRAR NO CARRO PRA VIR CONOSCO PORQUE ELE TINHA UM ASSUNTO PARA TRATAR COM O DOUTOR BRIZOLA NO CAMINHO. ELE SENTOU NO CANTO, EU SENTEI NO MEIO E NÃO ME RECORDO, MAS UMA OUTRA PESSOA SENTOU NO CANTO, QUE POSSIVELMENTE AGORA PODE TER SIDO ELA, E VIEMOS EU E OCOLEGA DEPUTADO CONVERSANDO COM O DOUTOR BRIZOLA, ASSUNTO NOSSO, O DOUTOR BRIZOLA VIRIU PRA TRÁS E NEM ME RECORDO DA PRESENÇA DELA, QUANTO MAIS TER FEITO QUALQUER, TER TRATADO QUALQUER ASSUNTO, MUITO MENOS TOCADO NELA. O deputado Pompeo de Mattos conta qual foi a conversa que eles tiveram no departamento jurídico do PDT. SONORA DEPUTADO FEDERAL POMPEO DE MATTOS. NO DIA O ADVOGADO TINHA QUE FALAR COM ELA E ELE ME DISSE E ELE ME DISSE QUE NÃO FALARIA PORQUE TINHA QUE ACHADO QUE ERA UMA COISA QUE TINHA QUE FALAR. NUM DETERMINADO DIA, ELA ESTEVE NO PARTIDO, QUE ELA NÃO COMPARECIA AO PARTIDO, TEVE LÁ, O ADVOGADO ME CHAMOU NA SALA, FUI LÁ, COMECEI A CONVERSA COM ELA, O ADVOGADO SE RETIROU UM MINUTO, NÃO DEU DOIS MINUTOS, QUE NÓS JÁ TÍNHAMOS COMEÇADO A CONVERSA RELATIVAMENTE À QUESTÃO DO PARTIDO, PARA ACHAR UM HORÁRIO PARA A ATIVIDADE DELA. FIM DA CONVERSA, ELA DISSE QUE TALVEZ FOSSE LECIONAR NA ULBRA E QUE QUERIA ABRIR CAMINHO E O ASSUNTO SE ENCERROU. O deputado Pompeo de Mattos dá a sua versão para o episódio do restaurante. SONORA DEPUTADO FEDERAL POMPEO DE MATTOS. QUANDO CHEGAMOS EU E O DEPUTADO ADROALDO LOUREIRO, NÃO A PERCEBI. SENTEI NA MESA E DEPOIS DE UNS 40 MINUTOS APROXIMADAMENTE, NOTI ELA E ELA SE LEVANTOU E VEIO E CUMPRIMENTOU O DEPUTADO LOUREURO, A MIM E À MINHA NAMORADA. DEPUTADO LOUREIRO, A MIM E, DESCULPE, UMA AMIGA, NÃO ERA UMA NAMORADA, UMA AMIGA, AMIGA. COINCIDENTEMENTE NOS ENCONTRAMOS ALI E NÃO FALAMOS NADA, SÓ NOS CUMPRIMENTOU, APRESENTOU A MÃE AO DEPUTADO LOUREIRO E ENCERROU-SE LÁ. NUNCA MAIS VI. O deputado Pompeu de Mattos diz que não deixará o partido teme uma punição por parte da comissão de ética. SONORA DEPUTADO FEDERAL POMPEO DE MATTOS. EU NUNCA DESRESPEITEI NINGUÉM, EU NUNCA FALTEI COM O RESPEITO COM O DOUTOR BRIZOLA, NÃO DESRESPEITEI NENHUM COLEGA DE TRABALHO, TENHO HONRADO OS MANDATOS QUE RECEBO DO PARTIDO. O PDT É MUITO MAIOR QUE ESSE MOMENTO DE INTRIGA.

Armindo Antônio Ranzolin

Você assina essa matéria nessa entrevista que colheu junto a Juliana Brizola. O que mais você quer acrescentar sobre isso ?

Rosane Oliveira :

Acho que é importante ressaltar que essa menina, desde o dia em que surgiram as primeiras denúncias, eu vinha tentando falar com a Juliana Brizola. Porque é um caso em que ela era o personagem principal e a palavra dela ainda não tinha vindo à tona. O que se sabia era dessas denúncias por meio de declarações do seu avô, da sua mãe, dos seus irmãos e de outras pessoas do PDT. Ela vinha mantendo silêncio até então, por ordem do próprio avô e ontem finalmente, ela deu retorno às minhas muitas ligações, diz que aceitaria falar, que queria contar a sua versão. O que me impressionou na entrevista da Juliana Brizola foi a firmeza com que ela fala tudo que aconteceu nesse episódio. E ela está denunciando o deputado na comissão de ética do PDT nacional, mandou uma carta para a comissão de ética, e agora que o assunto estaria aparentemente encerrado, o próprio Brizola havia dito que considerava o assunto aqui encerrado após a saída dele da presidência, esse assunto terá desdobramentos e o deputado deverá ser julgado. Ele desde o início, vem negando que tenha tido algum envolvimento com o que Juliana relata, diz que quer ser julgado, que quer ser submetido ao julgamento porque não tem nada a esconder. Mas é um episódio que infelizmente é ruim para o PDT, ruim para a política gaúcha, porque nesse tipo de caso sempre fica a palavra de um contra o outro. E como disse a Juliana, eu fico aqui imaginando também, o que ela ganharia para se expor desse jeito, fazer uma denúncia em que nada a beneficia. O PDT é um partido onde as brigas são constantes, as dificuldades na eleição do deputado Pompeo de Mattos são conhecidas, o ex-governador Leonel Brizola verdadeiramente não queria que ele fosse eleito presidente do partido. Mas eu acho que seria uma coisa muito baixa por parte dele, inventar um caso usando a neta para tirar um presidente do partido. É um assunto que ainda precisa ser esclarecido e agora a comissão de ética do partido vai esclarecer. Juliana Brizola diz que não pretende processar o deputado por danos morais, como chegou a ser sugerido por colegas dela no PDT que vinham, segundo ela, acompanhando as investidas do deputado contra ela.

Armindo Antônio Ranzolin

Então tivemos aqui, vocês encontram numa página inteira da edição de Zero Hora a matéria assinada pela Rosane de Oliveira que entrevistou a Juliana Brizola e a Civa Silveira fez um resumo e também abriu espaço para que falasse também o deputado Pompeo de Mattos.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

As leis que regem o mundo

Mas a verdade é que não só nos países autocráticos como naqueles supostamente livres - como a Inglaterra, a América, a França e outros - as leis não foram feitas para atender à vontade da maioria, mas sim à vontade daqueles que detêm o poder. [ Leon Tolstói

Principalmente financeiro........... 

terça-feira, 13 de abril de 2010

Sandra..........

O tempo que passamos juntos vai ficar pra sempre
Intimidades, brincadeiras, só a gente entende
Pra quem fala que namorar é perder tempo eu digo:
Há muito tempo eu não crescia o que eu cresci contigo.......

E agora........Pesquisa Sensus aponta empate entre Serra e Dilma!!!

  
          Pesquisa Sensus encomendada pelo Sintrapav (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Pesada de São Paulo) a ser divulgada hoje aponta empate técnico na corrida presidencial entre o tucano José Serra (32,7%) e a petista Dilma Rousseff (32,4%). É o resultado mais apertado já obtido.

          De acordo com a sondagem, Ciro Gomes (PSB) teria 10,1%, e Marina Silva (PV), 8,1%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.
          Segundo dados apresentados ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), sob o registro de número 7594/2010, o levantamento foi feito entre os dias 5 e 9 de abril em 24 Estados, com 2.000 entrevistas.

                                                                                                                                    Fonte: Folha online

domingo, 11 de abril de 2010

Senhor, a noite veio...

Segunda parte - Mar Portuguez            
Possessio maris


Senhor, a noite veio e a alma é vil.
Tanta foi a tormenta e a vontade!
Restam-nos hoje, no silêncio hostil,
O mar universal e a saudade.

Mas a chama, que a vida em nós criou,
Se ainda há vida ainda não é finda.
O frio morto em cinzas a ocultou:
A mão do vento pode erguê-la ainda.

Dá o sopro, a aragem - ou desgraça ou ânsia –
Com que a chama do esforço se remoça,
E outra vez conquistaremos a Distância –
Do mar ou outra, mas que seja nossa!

Fernando Pessoa

Pesquisa eleitoral ABSURDA E CRIMINOSA: Chamem a polícia!!!

Por Brizola Neto


Ministério Público Eleitoral deve estar neste momento, pedindo uma investigação sobre as pesquisas eleitorais.
Não há variação amostral que justifique a diferença entre o que apontam, na região sul, o Datafolha e o Vox Populi.
O Datafolha apontou a região sul como “diferencial” para explicar que Serra teria reaberto a difereça para Dilma, que vinha se estreitando velozmente.
Hoje saíram os resultados detalhados da Voz Populi, realizada praticamente ao mesmo tempo e com a mesma amostra.
O Datafolha diz que Serra vence de 48% a 20% para Dilma.
O Vox Populi diz que há empate em 33% de intenção de voto para ambos.
Estamos falando de um candidato empatar a eleição ou ter 2,4 vezes mais votos que o adversário.
Diante disso, não dá nem para comentar o resto dos dados.
Como eu tenho dito diversas vezes, alguém está mentindo. Não há explicação estatística para tamanha diferença.
A Justiça Eleitoral se sente ofendida por Lula dizer o óbvio, que Dilma é sua candidata.
Mas não se sente ofendida por duas pesquisas, de base amostral quase idênticas, apresentarem esta diferença?
Se eu quiser, registro lá que vou fazer uma pesquisa e digo que Dilma ou Serra vence no Sul de 99% a 1% e posso divulgar, em rede nacional? O registro da pesquisa é pra inglês ver ou para permitir auditoria? Eu já tinha apontado a incongruência da pesquisa Datafolha aqui.
Em qualquer país do mundo isso ia dar processo para alguém. Mas aqui passa batido.
Se quiser investigar, é atentado contra a liberdade de imprensa.
Que, como todos sabem, não se confunde com o direito à informação.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Fomos absolvidos de falsa acusação...

....e agora?


          No período pré-eleitoral de 2008, fui acusado pelo ex-petista LUIZ ALBERTO COSTA FILHO (que desviou dinheiro da conta do PT e que tive atuação fundamental para expulsá-lo do partido), de  ter cobrado parte do salário que ele recebia para mantê-lo em Cargo de Confiança (a mesma história de sempre contra o PT e Petistas).
          O Dito ex-petista fez esta acusação através de nota na Empresa Samborjense de Comunicações (rádio Cultura) causando um grande desgaste na nossa candidatura, constrangimento pessoal e familiar.
          Ná época, tentamos direito de resposta na Rádio Cultura, e, por três vezes a diretora responsável após consultar o dono (segundo ela) nos negou este direito, embora tenham sido propagadores massissamente da versão mentirosa que tanto desgaste e constrangimento nos causou.
         Depois de mais de ano tramitando , a denúncia transformou-se em processo, nossa vida (minha e da Sandra) foi revirada , o Poder Judiciário julgou, e como não poderia ser diferente: FOMOS INOCENTADOS.
         Após as denúncias, nossa imagem pública foi destroçada, nossa família sofreu muito, na época mesmo sendo candidato ou pré, ficamos constrangidos e sem condições de sair a rua, eleitoral mente fomos prejudicado conforme pesquisa de intenção de voto, contratado por nós em período após as denúncias irem ao ar pela rádio. de uma eleição possível, perdemos a eleição FEIO....
         Nossa vida foi devassada. Nós , nossa familia e os filhos fomos constrangidos e humilhados publicamente por uma ARMAÇÃO COVARDE dos nossos adversários............
         Hoje, o denunciador e ex-filiado expulso do PT por desvio,  é Cargo de Confiança do Prefeito Mariovane. O esposo da Diretora da rádio que propagou a denúncia e nos negou o direito de resposta é Secretário do Prefeito Mariovane...
         Tudo coincidência?
         A DOR QUE SENTIMOS, E A VERGONHA QUE PASSAMOS NÃO TEM SIMILAR.
         A Justiça deve ser feita por completo.
         Hoje absolvidos vamos buscar a devida e completa JUSTIÇA e buscar a punição dos responsáveis, para que para que a política seja algo ético, honesto e justo, não como foi a última eleição em São Borja que para reeleição o prefeito Mariovane, criaram frigoríficos, caluniaram e armaram acusações falsas aos adversários, e mentiram ao povo, num vale tudo.......... .



Processo nº: 
030/1.07.0008047-7
"....
Vejamos os depoimentos das testemunhas, verbis:

Luiz Alberto Costa Filho (fls.185/191), ouvido como  informante, disse:
“ (...)
Juíza: O Senhor tem ligação com algum partido político atualmente:
Testemunha: Hoje eu sou filiado ao PDT.
Juíza: E o PDT é um partido adversário do Rene Ribeiro?
Testemunha: Sim, ele era candidato a prefeito contra o prefeito Mariovane que é do PDT."



Noutra parte a juíza diz: """
"Ainda, conforme documentação acostada aos autos, Luiz  após sua desfiliação do PT, tentou retornar ao partido, o que lhe foi negado conforme documento acostado à fl.35, que contou, inclusive, com assinatura do requerido(Renê).

Após esse fato, filiou-se ao PDT, partido do inimigo político do requerido, Mariovane Weis, passando a prestar serviço a atual gestão da Prefeitura, na condição de estagiário (fl.233).

Diz a Juíza também: '...Em síntese, as provas produzidas nos autos são carentes de elementos aptos a demonstrar a prática de ato de improbidade pelo requerido.
Logo, não havendo como se presumir vantagem patrimonial indevida, impõe-se a improcedência da ação.

III – DISPOSITIVO
Diante do exposto, JULGO IMPROCEDENTE  a ação civil pública 


Michele Soares Wouters,
Juíza de Direito

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Preconceito: instinto reprimido do tucano-mor do PSDB


Com a palavra o ex-presidente

Depois de fazer, em artigo publicado em Zero Hora, um apelo ao ex-governador Aécio Neves para que concorra a vice-presidente na chapa encabeçada por José Serra, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso deu mais um palpite que pode servir de munição para os seus opositores.

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, disse “que o Brasil só será um país desenvolvido quando as telefonistas e empregadas domésticas souberem anotar um recado”. Com a generalização, ofendeu profissionais competentes, que não se enquadram na crítica.

Para quem teve de passar anos explicando que não quis dizer que todos os aposentados eram vagabundos, o ex-presidente poderia te rmais cuidado com as palavras
Blog Rosana de Oliveira

terça-feira, 6 de abril de 2010

Corretagem X Politicagem

O corretor de imóveis, Ex-vereador e presidente do PDT (mesmo partido do Prefeito Mariovane) , Janot Oliveira deve estar feliz da vida!
Ele esta sempre por perto quando trata-se de negócios de imóveis ao qual a prefeitura é parte.
Foi assim no negócio da Terra da família do prefeito que seria destinada a Quadrilha (segundo o MP) do Guaporé, no terreno da Escola Técnica Federal e agora na permuta que viabilizará cemitério e canil.

O caso de Veja por Luís Nassif

macartismo e o jornalismo de negócios

Estilo neocon, política e negócios


O maior fenômeno de anti-jornalismo dos últimos anos foi o que ocorreu com a revista Veja.Gradativamente, o maior semanário brasileiro foi se transformando em um pasquim sem compromisso com o jornalismo, recorrendo a ataques desqualificadores contra quem atravessasse seu caminho, envolvendo-se em guerras comerciais e aceitando que suas páginas e sites abrigassem matérias e colunas do mais puro esgoto jornalístico.

Para entender o que se passou com a revista nesse período, é necessário juntar um conjunto de peças.

O primeiro conjunto são as mudanças estruturais que a mídia vem atravessando em todo mundo.

O segundo, a maneira como esses processos se refletiram na crise política brasileira e nas grandes disputas empresariais, a partir do advento dos banqueiros de negócio que sobem à cena política e econômica na última década..

A terceira, as características específicas da revista Veja, e as mudanças pelas quais passou nos últimos anos.

O estilo neocon

De um lado há fenômenos gerais que modificaram profundamente a imprensa mundial nos últimos anos. A linguagem ofensiva, herança dos “neocons” americanos, foi adotada por parte da imprensa brasileira como se fosse a última moda.

Durante todos os anos 90, Veja havia desenvolvido um estilo jornalístico onde campeavam alusões a defeitos físicos, agressões e manipulação de declarações de fonte. Quando o estilo “neocon” ganhou espaço nos EUA, não foi difícil à revista radicalizar seu próprio estilo.

Um segundo fenômeno desse período foi a identificação de uma profunda antipatia da chamada classe média mídiatica em relação ao governo Lula, fruto dos escândalos do “mensalão”, do deslumbramento inicial dos petistas que ascenderam ao poder, agravado por um forte preconceito de classe. Esse sentimento combinava com a catarse proporcionada pelo estilo “neocon”. Outros colunistas utilizaram com talento – como Arnaldo Jabor -, nenhum com a fúria grosseira com que Veja enveredou pelos novos caminhos jornalísticos.

O jornalismo e os negócios

Outro fenômeno recorrente – esse ainda nos anos 90 -- foi o da terceirização das denúncias e o uso de notas como ferramenta para disputas empresariais e jurídicas.

A marketinização da notícia, a falta de estrutura e de talento para a reportagem tornaram muitos jornalistas meros receptadores de dossiês preparados por lobistas.

Ao longo de toda a década, esse tipo de jogo criou uma promiscuidade perigosa entre jornalistas e lobistas. Havia um círculo férreo, que afetou em muitos as revistas semanais. E um personagem que passou a cumprir, nas redações, o papel sujo antes desempenhado pelos repórteres policiais: os chamados repórteres de dossiês.

Consistia no seguinte:

O lobista procurava o repórter com um dossiê que interessava para seus negócios.

O jornalista levava a matéria à direção, e, com a repercussão da denúncia ganhava status profissional.

Com esse status ele ganhava liberdade para novas denúncias. E aí passava a entrar no mundo de interesses do lobista.

O caso mais exemplar ocorreu na própria Veja, com o lobista APS (Alexandre Paes Santos).

Durante muito tempo abasteceu a revista com escândalos. Tempos depois, a Policia Federal deu uma batida em seu escritório e apreendeu uma agenda com telefones de muitos políticos. Resultou em uma capa escandalosa na própria Veja em 24 de janeiro de 2001 (clique aqui) em que se acusavam desde assessores do Ministro da Saúde José Serra de tentar achacar o presidente da Novartis, até o banqueiro Daniel Dantas e o empresário Nelson Tanure de atuarem através do lobista.

Na edição seguinte, todos os envolvidos na capa enviaram cartas negando os episódios mencionados. Foram publicadas sem que fossem contestadas.

O que a matéria deixou de relatar é que, na agenda do lobista, aparecia o nome de uma editora da revista - a mesma que publicara as maiores denúncias fornecidas por ele. A informação acabou vazando através do Correio Braziliense, em matéria dos repórteres Ugo Brafa e Ricardo Leopoldo.

A editora foi demitida no dia 9 de novembro, mas só após o escândalo ter se tornado público.

Antes disso, em 27 de junho de 2001(clique aqui) Veja publicou uma capa com a transcrição de grampos envolvendo Nelson Tanure. Um dos “grampeados” era o jornalista Ricardo Boechat. O grampo chegou à revista através de lobistas e custou o emprego de Boechat, apesar de não ter revelado nenhuma irregularidade de sua parte.

Graças ao escândalo, o editor responsável pela matéria ganhou prestígio profissional na editora e foi nomeado diretor da revista Exame. Tempos depois foi afastado, após a Abril ter descoberto que a revista passou a ser utilizada para notas que não seguiam critérios estritamente jornalísticos.

Um dos boxes da matéria falava sobre as relações entre jornalismo e judiciário.

O boxe refletia, com exatidão, as relações que, anos depois, juntariam Dantas e a revista, sob nova direção: notas plantadas servindo como ferramenta para guerras empresariais, policiais e disputas jurídicas.